Skip to main content

Primeiro de julho: O Canadá faz 150 Anos

Dia 1 de julho é o ” Canada Day/Jour du Canada“, equivalente ao 4 de julho para os EUA. Mas este ano, o 1 de julho será especial, e por muitas razões. A primeira é que o país completa 150 anos de vida.

Além disso, comemora-se a retomada dos reais valores canadenses, que foram sufocados por quase 2 décadas sob o regime de um governo conservador , racista, elitista.

O partido Liberal, após quase 20 anos longe do poder foi reconduzido a Ottawa, nāo somente com a eleiçāo de Justin Trudeau para Primeiro-Ministro, mas também com a eleiçāo de uma maioria esmagadora no parlamento.

Desta forma, o Canadá respira novamente ares de respeito às minorias, à inclusāo de imigrantes na vida social e no mercado de trabalho e volta a sua tradiçāo de acolher refugiados de todo o mundo.

Portanto, dia 1 de julho é dia de grande comemoraçāo. O Canadá voltou a ser, finalmente, o Canadá.


Alberto Escosteguy

28 de Junho, Dia Mundial do Diversidade LGBTQ-A: letra A de Canadá

 

Dia 28 de junho comemora-se o dia internacional da diversidade e do orgulho LGBTQ, acrônimo para Lésbicas, Gays, Bisexuais, Transexuais, Queers e Heterosexuais Aliados. Ou seja, se você é HETERO faz parte do mundo civilizado, este também é seu dia. O Canadá oficializou a letra “A” no acrônimo, pois nem sempre é fácil ser heterosexual e Aliado à causa de uma minoria e defendé-la, se atacada. Assim, os canadenses LGBTQ reconheceram a importância e o orgulho de ser “Aliado”.

Nesta data comemora-se o chamado “Levante de Stonewall“.


Em 28 de junho de 1969, um bar em Nova York chamado Stonewall (que existe até hoje), freqüentado por gays, sofreu mais uma das costumeiras batidas da policia e várias pessoas foram presas pelo simples fato de estarem no bar “cometendo atods indecentes e contra a moral Nova Iorquina“.

Pois bem. Só que desta vez, os “infratores” resolveram reagir e se entrincheiraram no bar, nāo permitindo a policia entrar. Em uma verdadeira cena de guerra, reforços foram chamados e os freqüentadores do bar espancados.

O que a policia nāo contava era que a comunidade gay do Greenwich Village, (famoso bairro de artistas e boêmios da cidade) ao saber do ocorrido, juntou-se a seus pares feridos dentro do estabelecimento.

Aos poucos, que era uma resistência em um bar, alastrou-se para as ruas e trincheiras com sacos de cimento foram erguidas para impedir a policia de entrar no bairro. O massacre entāo tomou proporções vergonhosas e a populaçāo de nova Iorque (que elege os delegados de policia), passou a cobrar a retirada imediata dos homens armados do Greenwich.

Os protestos aumentaram. A violência também. Diante de tamanha barbárie, o governo municipal tomou para si a situaçāo e o chefe de policia foi exonerado, os gays indenizados e a governo veio a público para oficialmente se desculpar com a populaçāo em geral “tomados de vergonha“.

A partir daí, todo dia 28 de junho celebra-se o DIA DO ORGULHO LGBTQ ao redor do mundo.

A mesma situaçāo ocorreu no Canadá, em Toronto, nos anos 70, mas a revolta se deu a partir de uma batida policial em uma Sauna.

Primeiro Ministro do Canadá e filho na parada 2016

O mesmo pedido de desculpas se fez ecoar no Canadá.

Atualmente, o dia do Orgulho é uma das datas mais comemoradas em todo o Canadá, e se tornou uma festa familiar: pais com suas crianças,jovens,idosos, casais LGBTQ e heteros Aliados marcham nas paradas do orgulho em todo o país.

A police officer is sprayed by parade goers during the WorldPride Parade in Toronto, Ontario June 29, 2014. The parade, which is the culmination of WorldPride 2014, attracts over a million people. THE CANADIAN PRESS/Kevin Van Paassen

Pelo segundo ano consecutivo, o Primeiro Ministro canadense, Justin Trudeau (o homem mais importante do país) marchou na Parada de Toronto, dia 28 de junho. A data tomou tanta importância que passou-se a comemorar junho inteiro como o MES DO ORGULHO. Empresas de peso aderiram às festividades e exibem suas marcas com orgulho nas paradas no Canadá e EUA, tais como a Coca-Cola, Nke, Adidas, Facebook, Apple, Citibank, Microsoft, Starbucks, Heineken, UFC, Fairmont Hotels, Policia do Canadá, Forças Armadas canadenses e americanas (policia e FFAA desfilam uniformizadas), Greenpeace, BankBoston entre muitos outras.

Louis Sanchez, left, and Kyle Hoban kiss in front of the Stonewall Inn while watching the NYC Pride Parade in New York, Sunday, June 26, 2016. With a moment of silence followed by the roar of motorcycles, New York City’s gay pride parade kicked off Sunday, a celebration of barriers breached and a remembrance of the lives lost in the massacre at the gay nightclub in Orlando. (AP Photo/Seth Wenig)

Em Victoria, BC, a parada este ano será dia 09/julho.

Disponibilizamos fotos históricas de 28 de junho de 1969 em Nova York e da Pride deste ano em Toronto.

E para você… HAPPY PRIDE !


Alberto Escosteguy

Solstício de Verāo

Enfim, é verāo no hemisfério norte!

Esta data é muito comemorada por aqui, seja na America do Norte ou Europa Central/Norte. A razāo é bem simples: nestas regiões, as estações sāo muito bem definidas e uma é bem diferente da outra, inclusive em suas cores. No inverno, tudo fica branco. No outono, a paisagem se veste de vermelho e laranja (tipicamente no Canadá e na Nova Inglaterra).

Na primavera há flores e tulipas por todo lado e de tudo que é cor. E entāo, vem o verāo! Quente. Muito quente. E com muita luz! Na maior parte do Canadá, por exemplo, o sol brilha até por volta das 22:00 hrs e às 05:30 já tem sol. E em certas partes setentrionais, simplesmente o sol nāo se põe por 3 meses ! Um bom exemplo disso é a cidade de Inuvik, no Northwest Territories, uma boa surpresa para o turista. Mas… o verāo é curto. Às vezes bem curto! Três meses se tudo correr bem. Em 2014, por exemplo, houve uma tempestade de neve em Calgary em agosto, em pleno verāo !

Por isso tudo, a estaçāo do sol é muito comemorada. E mais comemorado ainda é o dia no qual o verāo se inicia, o chamado de Solstício de verāo, que cai em 21 de junho e faz com este seja o dia mais longo do ano.

Eu ja passei o Solstício em Toronto, Calgary, BC e Paris. Posso dizer sem errar que Paris é imbatível! A noite inteira de 21 de junho é a chamada ” Fête de la Musique” e Paris se transforma em um palco musical a céu aberto: artistas de todoas os tipos, desde o garoto que tenta tocar guitarra até grandes e famosos cantores e grupos de Rock, música folclórica, música clássica ( incluindo ópera!), Punk, House, Trance… qualquer coisa!

É a festa mais linda que já vi na vida. É a celebraçāo do verāo ! E uma dica: se você se interessou e quer passar o Solstício de verāo de 2018 em Paris, vá com alguém que você ama e busque os intérpretes de Edith piaff, Mustaki e outros no bairro do Le Marais, no 4eme Arrodissment. Garanto pra você que dá em casamento ( experiência própria! Haha).

Enfim… depois de vários suspiros, voltemos ao Canadá.

Por aqui, nāo há a magia de Paris, isso é certo. Mas há um povo acolhedor, sorridente, muito feliz, natureza abundante, todas as aves de migram nesta época e enchem os parques das cidades de vida, gente bonita e… o que eu acho que compensa qualquer outra coisa: SEGURANÇA.

O Canadá é um país extremamente seguro e estável. A violência urbana é praticamente inexistente, assaltos na rua, metrô, ônibus etc sāo coisa raríssima e, em 7 anos de Canadá, eu nunca vi. Já em Paris fui ameaçado com uma faca por um doido no metrô Chatelêt e a pessoa que mais amo quase morreu esmagada pela porta do metrô em Louvre-Rivoli. Entāo, é como dizem: lugar perfeito, nāo existe.

O importante é elencar suas prioridades e preferências e ir de acordo com elas. Ou ir a todos os lugares, adaptando-se a cada um deles.

No mais, é olhar pro céu azul, para os gansos e patos que chegam com o verāo, aproveitas os longuíssimos dias de verāo canadense até as 22:00 e ser feliz!

Bom verāo pra todo mundo!


Alberto Escosteguy

Diversidade: A grande vantagem do Canadá

Como dissemos no post anterior, a segurança é algo que por si só já me faria escolher o Canadá para viver. Saber que seu filho vai à escola sozinho e volta sozinho e se ele se atrasar nāo é porque foi assaltado, agredido ou coisa pior. Deve estar na casa dos amiguinhos. e você sabe disso. Essas coisas nāo se mesuram em números: elas constroem o que se chama felicidade.

Porém, além da segurança, o respeito à diversidade é algo que também me faria escolher o Canadá. Aproveitando que junho é o mês do Orgulho LGBTQ-A (Lésbicas, Gays, Bisexuais, Trans*, Queer e Aliados (Heteros que apóiam a igualdade no mundo (civilizado) inteiro)), resolvi dedicar um post a este tema.

Quando se fala em diversidade, logo vem à mente a questāo LGBTQ-A, Sim, isso é verdade. O Canadá é sem nenhuma dúvida o MELHOR país do planeta para os LGBTQ-A. Em nenhum outro lugar seus direitos sāo tāo respeitados e levados tāo a sério quanto aqui. Só no Canada (e na Holanda em ALGUNS anos apenas) a P-FLAG (aquela bandeira de arco-iris) é hasteada no parlamento federal e em todas as autarquias públicas do país. É o único lugar onde as maiores universidades e umas das melhores do mundo, como a University of Toronto, exibe a P-Flag durante todo mês de junho em sua reitoria e nos campi onde há atividades esportivas. É o único país onde duas pessoas do mesmo sexo podem imigrar como família, MESMO NENHUMA DELAS SENDO CANADENSE.

Sim, isso tudo é verdade.

Mas se você passou por este post e pensou: “ah, que legal, mas nāo é meu caso”.

Aconselho você botar as barbinhas de molho e ler este post, pois TAMBÉM é seu caso.

Por uma única razāo: você é o que se chama no Canadá de MINORIA VISÍVEL. Isto é, sua diferença em relaçāo à maioria da populaçāo é… visível. Seja por você nāo ser branco (Isso mesmo! A nāo ser que você seja das colônias européias do sul do Brasil e seus pais falem dialeto vêneto, polonês ou alemāo com você em casa, sinto muito, mas no hemisfério norte você NĀO é branco), seja por você falar inglês e/ou francês com um sotaque fortíssimo, seja por que razāo for.

VOCÊ É BENEFICIADO PELO RESPEITO À DIVERSIDADE. E ISSO TE DIZ RESPEITO. Nem que seja por você, no Canadá, ser um “gringo”.

A diversidade é uma questāo muito séria neste país. Racismo é algo que a populaçāo (e a polícia !) tem ZERO tolerância. Tente falar mal em público de muçulmanos, negros, latinos, gays etc. Você terá o privilégio de conhecer a outra face do canadense: a INTOLERÂNCIA à babaquice.

Em qualquer oferta de emprego, os grupos de minorias visíveis sāo muito encorajados a se candidatar. Na universidade há bolsas de estudos voltadas exclusivamente às minorias visíveis, incluindo os LGBTQ.

Qualquer mençāo a sua raça, religiāo, orientaçāo sexual, cor e deficiência física ou mental que tenha te ofendido é levado muito a sério em sua empresa, no seu condomínio, na rua ou em qualquer lugar. A puniçāo é rápida e eficiente.

Um bom exemplo foi uma mulher caucasiana que, esta semana, (junho/2017), perto de Toronto, esbravejou na recepçāo de uma clínica médica que queria um “médico branco que falasse inglês” para atender seu filho. Um canadense indignado filmou a cena. Na filmagem vê-se o espanto das pessoas, incrédulas. Até que outra mulher se aproxima e diz: “o problema nāo é o médico. O problema é você e seu filho, coitado, que tem uma mãe dessas. Você vai é para a cadeia, isso sim”. Rapidamente a mulher racista, que nāo é boba… sumiu.

Este é o Canadá. E viva a diversidade!


Alberto Escosteguy

Aprenda uma receita tipicamente canadense

O MONDO BLU traz hoje para vocês uma receita tipicamente canadense, panquecas matinais com Maple Syrup, o famoso xarope de bordo, retirado dos troncos de árvores típicas do Canadá, aquelas que têm a folhinha característica da bandeira do país…


Bem pequena quando provei pela primeira vez o sabor desse xarope em terras americanas. Como era bom acordar e sentir o gostinho daquelas panquecas superfofinhas envolvidas por aquele líquido dourado e doce. Acho que foi aí que comecei a gostar de culinária. As panquecas, consegui reproduzi-las fielmente, anos mais tarde. Mas o tal xarope sempre era substituído, pois não tinha como adquiri-lo por aqui. Sempre trouxe algum vidrinho na bagagem, quando voltava àquela região. Amigos viajantes costumavam me presentear com maple syrup, pois sabiam o quanto aprecio o produto. Atualmente disponível no comércio nacional, fazer e experimentar novas receitas ficou mais fácil e posso afirmar que substituir o tradicional açúcar branco ou o mel pelo xarope de maple tem me proporcionado boas surpresas na cozinha.

O maple syrup é feito da seiva de uma árvore que no Brasil é chamada de bordo. Árvore típica do Canadá e símbolo desse país, o bordo necessita das baixas temperaturas do inverno para armazenar amido em seu tronco. Com a chegada da primavera, o amido é transformado em sacarose líquida dentro do vegetal. Para recolher tal líquido os produtores fincam bicos nas árvores e deixam escorrer a seiva, que é aparada em baldes também acoplados aos troncos. A produção continua por todo o verão e é finalizada com a chegada do frio. Os primeiros baldes da primavera produzem os melhores xaropes. Diferenciadas por grades, a cor e a textura do xarope determinam sua utilização. Os mais clarinhos e de sabor suave são indicados para ir levar direto à mesa. Os mais escuros e densos são indicados para culinária de forno e fogão.

O syrup é obtido pela técnica da redução, concentração e evaporação. Totalmente natural, são necessários 150 litros de seiva para se conseguirem quatro litros de xarope. O puro maple syrup, diferentemente do açúcar retirado da cana, contem minerais, como magnésio e potássio em sua composição. O que é uma grande vantagem na hora de se utilizar o produto. A grande maioria da produção é canadense. Entretanto, no Nordeste dos Estados Unidos, na região de Vermont e por todo o estado do Maine encontra-se uma considerável plantação de bordo para produção do xarope.

Nos cardápios canadenses e americanos é muito comum encontrarmos carnes de porco e frango caramelizadas com maple syrup. Bolos e bolinhos como muffins, biscoitos de várias espécies, musses, geleias, molhos, sorvetes, pudins e tortas ganham sabor com o ingrediente. Já fiz redução de vinagre balsâmico com o xarope para temperar saladas e o resultado foi surpreendente. Já substituí o mel naquele tradicional molho de mostarda para acompanhar salmão e, da mesma forma, fiquei bastante satisfeita. Os precinhos por aqui não são nada doces, mas vale a pena a aquisição. Para começar, uma simples panqueca poderá encantar. Mas não economize na criatividade quando for utilizar o produto.

*Formada em Jornalismo pela Puc-Minas e em Gastronomia pela Estácio de Sá

 

Panquecas com maple syrup

Ingredientes

1 e ½ xícara de chá de farinha de trigo, 2 xícaras de chá de leite integral

2 colheres de sopa de manteiga derretida, 1 colher de chá de fermento em pó, Manteiga para untar e 1 vidro de xarope de maple

Modo de preparo

Bata no liquidificador o leite, a farinha, a manteiga e o fermento. Leve à geladeira por uma hora. Aqueça uma frigideira antiaderente e pincele-a com manteiga. Coloque uma concha da massa bem no centro da panela. Frite por um minuto. Vire a panqueca com o auxílio de uma espátula e frite por mais um minuto. Repita esse procedimento até terminar toda a massa. Sirva com o xarope de maple.


Por Patricia Crespo, para o UAI, em 2014 – LINK ORIGINAL