Skip to main content

Como trabalhar no verāo em um novo destino, e reduzir seus gastos a ZERO

Primeiro dia de voluntariado remunerado no Ocean Inn Hostel & Suites. Na verdade, como eles acharam que tudo correu bem da outra vez, eles me ofereceram um “full time job”, ou seja um emprego de tempo integral no hostel, em housekeeping. Como já comentei em posts anteriores, o ideal é juntar dinheiro no primeiro mundo e viajar pela Ásia, África e América Latina e, portanto, eu aceitei.

.
Minha rotina de trabalho será de 9:30 às 17:00, cinco dias por semana, dois dias livres às terças e quartas. Nāo vou trabalhar no Hostel, mas em uma casa perto daqui, onde eles alugam três suítes para o verāo, e ficarei sozinho lá: limpar 3 suítes de 9:30 às 17:00 hrs. Me parece bom! Como o percurso de 15 minutos entre o Hostel e a casa é grande parte à beira-mar, tenho ido de bicicleta para aproveitas os dias que já estāo esquentando e e já temos sol até à 21:30h.

.
Parte do salário será para cobrir a hospedagem no Hostel, embora de valor consideravelmente menor em relaçāo ao que um hóspede paga. Tendo em vista que estamos na alta temporada de verāo, vale a pena. Como o café da manhā e jantar sāo fornecidos pelo Hostel, meus gastos sāo praticamente zero e é onde eu quero chegar neste verāo: gasto = ZERO. Com isso, quando todos estiverem voltando para as escolas,universidades e escritórios em setembro, quando termina o verāo, tendo gastado praticamente o dobro do que gastariam na baixa temporada em uma ilha como a Vancouver Island, eu terei passado o verāo trabalhando em um Hostel e, ao terminar o verāo, recomeço a viajar. Que lugar você me recomenda?

.
Se você seguir estas dicas dos nômades digitais, você poderá viajar praticamente de graça e, quando usar suas milhas para sua passagem, sua viagem pode sair literalmente a custo zero.

.
No próximo post eu descreverei como está sendo minha rotina de trabalho no Hostel.


Alberto Escosteguy

Que Tipo de Gente Largaria Tudo Para Viajar?

Resposta Rápida: Você.

Brincadeiras à parte, esta pergunta é inevitável quando ouvimos histórias de nômades digitais que decidiram fazer um blog e sair pelo mundo. Há algum tempo atrás, a imagem desse cara era quase uma unanimidade: um cara solteiro, barbudāo, cabelāo de drag, tatuado, fumando maconha à beira da estrada, com uma mochila surrada e pedindo carona. Que coisa mais anos 60 e 70 !

.
Se você ainda tem era imagem quando falamos de nômades digitais ou você já passou dos 50 ou vive no seu próprio mundo (nada errado com nenhuma das duas alternativas, ok?).

.
A desconstruçāo desta imagem caricata começa pelo nome: nômade DIGITAL. O barbudāo provavelmente acharia que a internet é uma ferramenta de controle das massas vigiada por alguns milionários donos do capital. Já um nômade digital pode ser socialista, capitalista, comunista, ateu, espírita, adepto da seita dos deuses de cabeça azul… o que for. Mas uma coisa que ele nāo é , com certeza: avesso à tecnologia e aos avanços da sociedade contemporânea.

.
Outra diferença é que muitos nômades digitais, ao menos no ramo do turismo, gostam, sim, de lucros e dividendos. Eles apenas decidiram nāo ter mais um patrāo e, como sāo pessoas amantes de viagens, escolheram… viajar!  A diferença aqui é que eles trocaram o escritório com ar-condicionado, terno e gravata, (e as mulheres salto alto desconfortável) e reuniões estressantes por lugares menos convencionais. Mas atençāo! Essa lenda urbana de que nós trabalhamos na praia, em um barquinho na paz do oceano ou coisas do tipo, na maioria dos casos, é só LENDA mesmo. A começar que areia e água, acredito eu, nāo sāo muito bons para a saúde do seu computador, smartphone ou tablet. Além disso, as probabilidades termos bons índices de produtividade trabalhando na praia ou durante o concerto do Guns ‘n’ Roses sāo de muito baixos a zero.

.
Portanto, o lugar de trabalho do nômade digital sāo os chamados co-working spaces ( já falamos deles em post anterior) que sāo cafés ou espaços especialmente feitos – ou com toda estrutura para – a boa produçāo de trabalho de um nômade digital. Entre outras características, está uma rede wifi muito boa, pois nem todos nós nômades sāo apenas blogueiros de viagem. Muitos têm empregos e trabalhos que nada têm a ver com turismo, tais como programadores e desenvolvedores de games e até arquitetos, o que requer excelente conexão com a internet e relativo silêncio. Assim, aquele papo de largar o escritório para trabalhar em um quiosque à beira da praia ou a beira da piscina com gatas semi-nuas… é só papo mesmo. E nāo se engane: o ritmo e a quantidade de trabalho nāo é menor nem mais leve do que a do engravatadinho. Às vezes pode até ser maior. Além do mais, você precisa ter uma organização do tempo e disciplina de produçāo muito maiores do que o cara que vai para o escritório todos os dias.

.
Meu sócio, por exemplo, nāo trabalha fim de semana e feriados. Nada mais justo. O papel dele na sociedade é no back office, organizando, publicando, fazendo contato com mídia etc. E olha que de engravadinho ele nāo tem nada! Já eu, neste momento, estou me preparando para ir para uma cidade no Pacífico na costa oeste canadense amanha de manhā. E agora sā 22:20 e eu estou aqui escrevendo em um co-working space em Calgary, preocupado com a hora que o espaço vai fechar (daqui a meia hora), arrumar minha mala e, ao mesmo tempo, ainda manter boa produçāo e de qualidade. Amanhā, às 6:30 da manhā, eu provavelmente estarei escrevendo de novo, e no aviāo talvez também. Por que? Porque no meu caso, nāo sou eu que escolho a hora de trabalhar. O trabalho que escolhe a hora de eu produzir. Se vejo algo interessante, se tenho um insight de um post que poderia ser interessante (como tive agora), nāo posso pedir para minha secretária agendar uma reuniāo para amanha a fim de discutir uma ideia que tive ou algo do tipo. Nāo há secretária. Nāo há reuniāo (muitos nômades até agendam reuniões por Skype, quando o projeto cresce muito).

.

Eu tenho que escrever e fotografar onde eu estiver e a hora que for, pois este é o grande diferencial de um site de viagens. Caso contrário, para que você estaria lendo esses posts? Bastaria você ir ao Google. Mas o Google nāo tem insights às 3 da manhā e compartilha com você.

.
Entāo, para finalizar e responder com mais profundidade a pergunta quem larga tudo para viajar? Qualquer um! Você, seu vizinho. seu professor de matemática que tirou sua prova porque te viu colando, a moça que trabalha na sua casa, o amigo do seu filho que você achava que era maconheiro mas verdade era um gênio da informática, o namorado da sua filha que você nem sabia que existia, o porteiro, o cara que escuta hip hop no andar de cima às 10 da noite a todo volume, o gerente do seu banco, o diretor aposentado…enfim. Qualquer um.

.
Até eu. E olha que eu nem sou barbudāo nem tenho mochila surrada.


Alberto Escosteguy

ALBERTA III: Calgary – Natureza em abundâcia e alta segurança pública

Calgary concentra as sedes das principais indústrias de geraçāo de energia e prospecçāo de petróleo e gás do Canadá, sendo Alberta a principal província deste ramo de atividade econômica. Com a queda astronômica do preço destas commodities, nāo é de surpreender que a província e especialmente a cidade de Calgary, entrassem em uma grave crise financeira e imobiliária. Porém, mesmo com a crise tirando o sono dos locais, você pode tirar grandes vantagens disso, pois os preços de hotéis e aluguéis estão baixos. Mas se apresse, pois é quase unanimidade entre os especialistas do setor que, a contar um ano, aproximadamente, da data deste post, a crise terá cedido e tudo voltará ao normal. E normal para Alberta significa caro para você. Por enquanto, vamos aproveitar.

.
Falar de Calgary nāo é muito difícil, pois eu morei 3 anos aqui, onde fui convidado a coordenar duas pesquisas em psicologia infantil na Universidade de Calgary. A cidade é extremamente agradável de se morar, com a natureza presente em todo canto com sua fauna abundante e mudando de acordo com a estaçāo.

.
Aliás, poucos lugares no mundo onde eu morei me proporcionaram tal magia das mudanças de cada estaçāo tāo marcantes quanto nesta cidade.

.
O verāo é esturricantemente quente, seco e com dias muito longos, no seu auge proporcionando luz solar até por volta de 22:30 hrs e amanhecendo às 4:30h da manhā. A primavera se apresenta com temperaturas agradáveis, chuvosa e nascem flores em qualquer lugar da cidade. O outuno é vermelho e amarelo, com as copas das árvores mais parecendo uma floresta de fogo. Por fim, o inverno. Muito frio, dias bem curtos e branco, muito branco com muita neve.

.
Calgary é um lugar muito seguro, com baixíssimos índices de criminalidade com um povo muito acolhedor…e uma cidade muito bonita! Posso falar sem errar que as pessoas mais bonitas do Canadá que eu vi foram em Calgary, seguida pelo Québec. Nāo é à toa que eu vim para Calgary solteiro e saí noivo!

.
Se você quiser vir para cá (incluindo Banff) eu sugiro que seja no final da primavera, pois a temperatura ainda nāo está desumanamente quente e as flores e passarinhos estāo bem alegres.

.
Outras duas peculiaridades de Calgary na primavera sāo os coelhos, que sāo chamados de Jackrabbits (ok, eles estāo aqui o ano todo) e os gansos candadenses! Eles sāo uma festa! Os gansos e patos canadenses chegam em sua migraçāo em Calgary na primavera para reproduçāo em grande quantidade e o mais bacana: eles não têm medo de gente! Você pode chegar bem pertinho e tirar fotos, filmar que tudo bem. O que pode acontecer, se ficar enchendo muito o saco é levar uma boa de uma bicada. Já os coelhos sāo muito fofos. O que mais me encanta neles é que eles mudam de cor de acordo com a estaçāo!

.

Na primavera verāo e parte do outono eles sāo marrons ou cor de ferro, um cinza escuro. No inverno… eles ficam brancos!  Branquinhos, sem nenhuma mancha! Eles também nāo costumam ter medo de gente, mas sāo mais ariscos que os patos e gansos. Uma dica: se você ficar mais tempo e alugar uma casa, feche a porta! Eles nāo farāo muita cerimônia em entrar e atacar sua despensa.

.
Falando em atacar despensas, há outros bichos na primavera/verāo que podem se convidar para o quintal da sua casa e às vezes até na cozinha. Sāo os alces! Eles sāo conhecidos por devorar os jardins. Por fim, na primavera Calgary recebe visitantes (em bem menor número, é claro!) que você nāo vai querer encontrar: os ursos! Eles sāo raros mas às vezes dāo as caras, ou melhor, os focinhos, pois acordam famintos de sua hibernaçāo invernal.

.
Por este post ficamos por aqui. Abraços e nāo deixe de trazer seu spray contra ursos!


Alberto Escosteguy

When in Vancouver…

Ao contrário de apresentar dicas turísticas (Vancouver é uma das cidades mais visitadas das Américas, nāo é difícil achar no Google ou nas livrarias), nos propomos a apresentar os lugares como locais, ou seja, para viajantes que queiram experimentar cada lugar conhecendo seu verdadeiro espírito.


No caso de Vancouver, como tenho sempre dito, é muito melhor você se hospedar no leste, ou EastVan. Além de bem mais barato, é bem divertido. Se você nāo conhece ninguém, ao invés de ficar em hotéis, tente o CouchSurfing, uma comunidade (que eu sou orgulhoso de ter sido um dos pioneiros no Brasil), onde você se cadastra e fica na casa das pessoas de graça. Mas atenção: A proposta nāo é de fazer a casa de alguém um hotel gratuito. A idéia aqui é aumentar as amizades e círculos de viajantes, em uma grande comunidade onde dinheiro para hospedagem nāo serve para nada. E se você quiser ser “espertinha(o) e usar o CS como hotel gratuito, fará só uma vez. Logo será excluído da comunidade (já vai tarde!). Então, esteja pronto para SOCIALIZAR. Sair com os moradores casa, fazer jantares, lanches, caminhadas, o que for. Por isso, você escolhe pessoas que têm os mesmos interesses que você.
Outra opçāo é o Airbnb. Escolha alugar um QUARTO ao invés de um apartamento inteiro, a não ser que você vá com a família ou queira fazer noites de sexo intenso com a(o) namorada(o). Bem… alguns aluguéis de quarto, nesse caso podem… enfim, escolha a forma que quiser. O Airbnb é um CS pago, no qual você PODE fazer da casa um hotel, embora eu sempre prefira socializar.
Nāo existe UBER em Vancouver, então taxis sāo a opção disponível se você nāo dirige e não quer usar transporte público. Mas nāo se pega taxi na rua como no Brasil. Em Vancouver, como em quase toda costa oeste do Canada e EUA, você usa aplicativos e/ou liga para o taxi. Mas atenção: NEM SEMPRE O TAXI VAI! Pois é! Se o motorista achar que não vale a pena, ele cancela a corrida e dificilmente te avisa e você corre o risco de ficar 1 hora esperando por algo que não virá. Sugestão? USE O ÓTIMO TRANSPORTE PÚBLICO DE VANCOUVER.
Não existe metro, mas há o SKYTRAIN, metro de superfície e , claro os ônibus. A única forma de pagar o SKYTRAIN é com o cartão COMPASS. Não existe pagar em dinheiro. Você compra o cartão nos quiosques nas estações. Não há bilheterias. Andar sem pagar? Você pode tentar mas a polícia vai te pegar. E em um país que te oferece tanto, para bancar o babaca, fica por onde está, vem pra cá, nāo.
O cartão COMPASS vale tanto para o SKYTRAIN como para os ônibus, sendo que nestes últimos é possível pagar em dinheiro, mas “EXACT FARE ONLY”. Se você pagar com uma nota 5 ou 10, ficará tudo lá. A passagem custa CAD2,75. A multa por bancar o “esperto(a)” custa CAD178. Você escolhe.
No verão, em Vancouver, às 6 da manhã já é dia e anoitece completamente às 22:00 hrs, mas as lojas e comércio em geral fecham as 19:00/20:00 hrs. Isso pode te “enganar” no começo, pois ao ver o sol, você acha que ainda é cedo e quando vai ver tudo já fechou. Por isso é comum o sol estar brilhando no céu e as pessoas te desejarem “boa noite”.
Claro que álcool é proibido de beber na rua, como em todo EUA e Canadá e a exceção do Québec, só se vende em lojas especializadas. E se você tiver cara de bebê, esteja pronto para mostrar ID. Cigarros a mesma coisa, mas se compra em vários lugares. Maconha você pode adquirir se tiver uma carteira emitida por um “dispensary” (loja de maconha) autorizado pelo governo da província de BC. Basta você ter identidade original e dizer que tem, por exemplo, asma, ou alergia a… qualquer coisa. Você ganha sua carteira na hora e já pode comprar sua ervinha… inclusive produzida… er… no Brasil (sshhhh!!) Ah, e de posse desta carteira você pode fazer uso de seu medicamento onde quiser. Não pode fumar em lugares fechados. Nem em casa. Normalmente canadenses são tolerantes com fumo de maconha em casa, mas a extremamente raramente com nicotina, uma droga pouco vendida por aqui.
No mais, é descobrir por si mesmo as surpresas que Vancouver vai te proporcionar.


Alberto Escosteguy

Anotações Pré-Embarque: Diferenças Culturais entre Ásia e Brasil

Um ponto essencial para quem viaja para o sudeste asiático é estar atento e respeitar as diferenças culturais e religiosas locais. Por ser uma regiāo muito rica em cultura e religiões é sempre bom se informar. Aí vāo algumas dicas básicas:

TAILÂNDIA

É sem dúvida o país mais liberal e aberto da regiāo. É chamado o paraíso dos Trans*, pois sāo famosas as cirurgias de mudança de sexo por lá, assim como a alta aceitação social aos chamados “ladyboys”. Mas o país também é conhecido pelo turismo sexual e, infelizmente, pelo turismo de pedófilos. A Tailândia tem combatido fortemente este fluxo predatório e perverso vindo sobretudo dos EUA e Europa. MONDO BLU e seus parceiros condenam veementemente tal prática e apóia as duras ações do governo tailandês contra estes criminosos.

Mas a Tailandia é uma país incrível. Nāo apenas por sua diversidade e a alta tolerância de sua sociedade, mas tambémpor ter um povo muito acolhedor. Além disso, por ser um país grande, você pode escolher o que prefere: se gosta de lugares bastante turísticos, com toda nfra-estrutura, praias lindas e muita aninação, seu lugar é no sul do país. Você vai se encantar com lugares tais como Phuket e Phi Phi. Já se você curte mais algo espiritual, conhecer templos e não tem praias como objetivo central, o norte do paí , além de ser bem mais barato, há menos turistas e tem um clima de paz incrível.

MALÁSIA

A Malásia é um país ainda pouco explorado turisticamente em nível mundial, embora bastante procurado pelo turismo regional. É um país lindo, com praias muito bonitas e pouco exploradas. Mas o maior atrativo é o fato de ser muito barato. Muito mesmo! Você pode ficar em um apartamento luxuoso com piscina etc. no AirBNB, por exemplo, em Kuala Lumpur (a capital) por U$ 40 dolares/dia.

Malásia

É um país muçulmano e muito conservador, portanto, atençäo ao fogo latino com seu(ua) namorado(a) em lugares públicos! Nāo é um lugar tão rígido quanto o Oriente Médio e mulheres turistas nāo precisam cobrir a cabeça.

Nāo há boa receptividade ao turismo LGBTQ e não são toleradas demonstrações públicas de afeto entre pessoas do mesmo sexo. País seguro para o turista, de um modo geral.

SINGAPURA

Singapura é um caso a parte. Para começar, a grafia correta é com “S”, em funçāo unificação ortográfica portuguesa. Singapura é o único país desenvolvido da região e é um dos menores países do mundo, uma “Cidade-Estado”. É conhecida por suas leis severas e um tanto peculiares. E elas sāo observadas!

Alguns exemplos de leis que se você for pego, nāo terá graça nenhuma. É proibido portar, mascar, vender o comprar chicletes. Você pode ir preso! É proibido cantar em público; É proibido ALUGAR QUARTO OU APARTAMENTO POR MENOS DE 6 MESES, OU SEJA, AIRBNB É PROIBIDO NO PAÍS! Sim, você vai encontrar Singapura no Airbnb mas saiba que estará quebrando a lei. Vá por sua conta e risco! É proibido beijar de forma “ofensiva” em público. Beijo na boca, só selinho! Homossexualidade é CRIME. A boa notícia: esta lei é apenas teórica e nāo é aplicada realmente. Há inclusive um pequeno bairro gay por lá. Mas nāo beije em público! Singapura é talvez o lugar mais High-Tech que você verá na sua vida. Há inclusive uma florseta eletrônica no centro da cidade!

O lado ruim é que é um lugar extremamente caro. Muito caro! É considerada uma das cidades mais caras do planeta, superando inclusive Londres!

BRUNEI

Outro país minúsculo e caro, mas se puder, vale a pena visitar. Brunei é um califado muçulmano e quem não respeitar os horários de oração vai para a cadeia.

Como turista, você nāo será preso, mas não terá muita receptividade dos locais. É um país muito limpo e muito seguro. Nāo existem consulados no Brasil e você precisa de visto, que pode ser tirado em algum país vizinho.

INDONÉSIA

Um dos destinos mais procurados da regiāo por causa da obviamente famosa ilha de Bali. Isso mesmo. Bali nāo é uma cidade. Bali é uma ilha, cuja capital é Dempasar. Um aviso: Bali nāo representa o que é a Indonésia! O país é bastante conservador, predominantemente muçulmano e com leis muito rígidas: entrar com drogas é um crime punido por fuzilamento e GBT’Q’s nāo são muito bem vistos.

Hanging Gardens – Ubud, Bali.

Tudo isso descrito acima nāo vale para Bali, uma ilha bem diferente do resto do país. De forma geral é um lugar bastante tolerante, promove casamentos LGBTQ’s, possui muitos templos. (muitos!) de religiōes que você nem sabe que existem. Se gosta de dessa praia, fique em Ubud, no centro da ilha, paraíso da Yoga e meditação. Se gosta de festas, sem dúvida sem lugar é em Kuta. Festas por lá acontecem todos os dias e em todas as horas. Todo tipo de festa. Todo mesmo! Uma boa notícia: Bali é uma ilha muito barata! E, sim, sāo de lá que surgiram os cigarros de Bali mesmo, e estão por toda parte.

Se você é LGBTQ ou gosta de festas, sugerimos fortemente que vá direto para Bali ao ir à Indonésia. Isto é tāo real que há vôos diretos para Dempasar de diversos pontos da Ásia.

FILIPINAS

Uma boa surpresa! Destino sub-explorado turisticamente, possui ilhas belíssimas, praias semi desertas e muito limpas, mar turquesa e… praias cor de rosa! Isso mesmo! Em funçāo da ação de corais, há algumas praias que têm areia cor de rosa! É um destino barato, com boa tolerância à diversidade e praticamente quase todo mundo fala inglês. Como sugestão, recomendamos a ilha de Cebu, ao norte de Manila.

Inambakan Falls, em Cebu.

Há ainda o Vietnam, o Camboja, Bangladesh, Butāo e Myanmar que ficam para futuros posts.


Alberto Escosteguy